Lançamento do livro “Pela Banda do Ribeirão” e oficinas em tom de conversa marcam os 125 anos da Sociedade Musical e Recreativa Lapa.

10/08/2021 16:57
➡ PARTICIPE! Oficinas online gratuitas e lançamento de livro sobre a formação urbana e cultural do Ribeirão da Ilha e a Banda da Lapa – Nos sábados 7 e 14 de agosto, às 14h.

A 2ª oficina em 14 de agosto será sobre o processo de registro da Banda da Lapa como Patrimônio Imaterial de Florianópolis, tendo como convidada a antropóloga e pesquisadora Mariela F. Silveira, do Núcleo de Dinâmicas Urbanas e Patrimônio Cultural da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Dia 14/8 às 14h – O link deste encontro é https://meet.google.com/sgy-izgs-mok

O lançamento do livro é feito pelo ateliê Rancho Cultural, pela Banda da Lapa e realizado pela Prefeitura Municipal de Florianópolis, Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes e Fundo Municipal de Cultura. O projeto é financiado com recurso público oriundo do edital de apoio às culturas 2019/2020.

Lançamento do livro “Pela Banda do Ribeirão” e oficinas em tom de conversa marcam os 125 anos da Sociedade Musical e Recreativa Lapa.

04/08/2021 16:18
➡ PARTICIPE! Oficinas online gratuitas e lançamento de livro sobre a formação urbana e cultural do Ribeirão da Ilha e a Banda da Lapa – Nos sábados 7 e 14 de agosto, às 14h.

A 1ª oficina será no próximo sábado, dia 7 de agosto, sobre a história da centenária Banda, ministrada pelo autor do livro em parceria com o músico e mestre em História, Wellinton Correa.

Dia 7/8 às 14h – O link do encontro é https://meet.google.com/diy-kxaz-aih

 

 

Lançamento do livro “Pela Banda do Ribeirão” e oficinas em tom de conversa marcam os 125 anos da Sociedade Musical e Recreativa Lapa.

04/08/2021 15:51
➡ PARTICIPE! Oficinas online gratuitas e lançamento de livro sobre a formação urbana e cultural do Ribeirão da Ilha e a Banda da LapaNos sábados 7 e 14 de agosto, às 14h.

O livro “Pela Banda do Ribeirão” e as oficinas em tom de conversa marcam os 125 anos da Sociedade Musical e Recreativa Lapa.

A publicação, iniciativa do músico, arquiteto e urbanista e pesquisador do Núcleo de Dinâmicas Urbanas e Patrimônio Cultural da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Artur Hugo Da Rosa, traça paralelo entre a história da Banda da Lapa e a formação cultural e urbana do Ribeirão da Ilha. A pesquisa ainda integrou um dossiê das três bandas centenárias da capital catarinense, representando a Banda da Lapa no pedido de registro como patrimônio cultural imaterial de Florianópolis. Os assuntos são a temática das duas oficinas.

A 1ª oficina será no próximo sábado, dia 7 de agosto, sobre a história da centenária Banda, ministrada pelo autor do livro em parceria com o músico e mestre em História, Wellinton Correa.

Dia 7/8 às 14h – O link do encontro é https://meet.google.com/diy-kxaz-aih

A 2ª oficina em 14 de agosto será sobre o processo de registro da Banda da Lapa como Patrimônio Imaterial de Florianópolis, tendo como convidada a antropóloga e pesquisadora Mariela F. Silveira, do Núcleo de Dinâmicas Urbanas e Patrimônio Cultural da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Dia 14/8 às 14h – O link deste encontro é https://meet.google.com/sgy-izgs-mok

O lançamento do livro é feito pelo ateliê Rancho Cultural, pela Banda da Lapa e realizado pela Prefeitura Municipal de Florianópolis, Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes e Fundo Municipal de Cultura. O projeto é financiado com recurso público oriundo do edital de apoio às culturas 2019/2020.

Fotos: Carolina Arruda/Rancho Cultural

Participe e ajude a divulgar! Mais informações:

Disponível nova edição Cadernos NAUI

30/07/2021 12:43

A nova edição da Revista Eletrônica do Cadernos NAUI está disponível em nosso site para visualização e download do conteúdo.

Cadernos NAUI têm como proposta reunir pesquisadores, professores e alunos de diversas áreas do saber ao redor de dois eixos temáticos amplos: dinâmicas urbanas e patrimônio cultural. Neste novo número, reforça essa premissa reunindo artigos por meio de um dossiê intitulado “Patrimônios (in)visíveis, colonialidade(s) em escuta”, organizado por André Soares, Mariela Silveira, Paula Nascimento e Paulo Raposo.

Sob a temática dos estudos do Patrimônio Cultural e os Estudos Decoloniais, o dossiê contribui por um lado, para dar visibilidade ao Patrimônio Cultural, desde o ponto de vista das populações que foram submetidas a viver em contextos coloniais. Por outro, se propõe exercitar o lugar de escuta, uma atitude antropológica cada vez mais necessária em contextos contemporâneos de descolonização epistemológica.

Acesse: Cadernos NAUI Vol. 10, n° 18, jan-jun 2021

Boa leitura!

Festa em Honra de Nossa Senhora dos Navegantes da Ilha da Culatra – Patrimônio Cultural Imaterial de Portugal

19/07/2021 10:07

A Festa em Honra de Nossa Senhora dos Navegantes da Ilha da Culatra acaba de ser inscrita no Inventário Nacional do Patrimônio Cultural Imaterial de Portugal. A pesquisadora do NAUI, Mariela Silveira, fez parte da equipe responsável pela pesquisa, instrução e submissão do pedido de registro.

A inscrição da «Festa em Honra de Nossa Senhora dos Navegantes – Ilha da Culatra» no INPCI – Inventário Nacional do Patrimônio Cultural Imaterial destaca importância de que se reveste esta manifestação do patrimônio cultural imaterial enquanto reflexo da identidade da comunidade envolvente e a sua profundidade histórica e evidente relação com outras práticas inerentes à comunidade.

Toda documentação atinente ao referido inventário pode ser acessada aqui.


Imagens: Mariela Silveira/2018.

(Re)pensando os patrimônios das cidades: Patrimônio, Cidade e Centros Históricos

12/06/2021 10:30

 

A mesa (Re)pensando os patrimônios das cidades: Patrimônio, Cidade e Centros Históricos faz parte da programação do evento Pré-Cidades em Transe: entre planejar e viver a cidade e contará com a presença da Coordenadora do NAUI Professora Dra. Alicia Castells.

As inscrições podem ser feitas no aqui 
O evento acontecerá no dia 18 de junho com transmissão pelo canal do evento no YouTube.

Pré-Cidades em Transe: entre planejar e viver a cidade

12/06/2021 10:17

Em comemoração à 5ª edição do evento anual “Cidades em Transe”, organizado pelo projeto de pesquisa “Margens: Grupos em processos de exclusão e suas formas de habitar Pelotas”, convidamos para o evento “Pré- Cidades em Transe: entre planejar e viver a cidade” tem como intuito de promover debates sobre direito social à moradia, requalificação do espaço urbano, planejamento urbano, gestão urbana, regularização fundiária e patrimônio nas cidades.

O evento reunirá debates e discussões acerca das múltiplas formas de viver a cidade e planejá-la, com o intuito de propiciar olhares sobre as diferenças presentes nestes aspectos intrínsecos à vida urbana, divergências entre a cidade tecnicamente planejada e a cidade que se faz em seu próprio compasso, sitiado de conflitos, contextos e sujeitos, como, promover debates sobre direito social à moradia, requalificação do espaço urbano, planejamento urbano, gestão urbana, regularização fundiária e patrimônio nas cidades. Pretende ainda fomentar debates que possam respaldar ações práticas voltadas ao atendimento de demandas das comunidades quanto a melhoria de sua qualidade de vida em diferentes cidades no Rio Grande do Sul.

As inscrições podem ser feitas no aqui 
O evento acontecerá no dia 18 de junho com transmissão pelo canal do evento no YouTube.

ATIVIDADES:
10 horas: MESA 1: Cidade planejada é cidade vivida?
13 horas: Mostra Artística do projeto Terra de Santo
15 horas: MESA 2: Os movimentos sociais urbanos na luta pelo direito à cidade
17 horas e 30 minutos: Sarau LGBTQIA+
19 horas: MESA 3: (Re)pensando os patrimônios nas e das cidades

O evento é organizado pelo projeto de extensão “Narrativas do Passo dos Negros: Exercício de Etnografia Coletiva para Antropólogos/as em Formação” vinculado ao projeto de pesquisa “Margens: Grupos em Processos de Exclusão e suas Formas de Habitar Pelotas” (MARGENS/GEEUR/UFPel), o projeto de extensão “ArqUrb Comunidades” (UniRitter).

Acompanhe o GEEUR nas redes sociais para maiores informações:
Facebook: @geeurbano 
Instagram: @geeurbano_