Cadernos NAUI

ISSN 2358-2448

 

SOBRE A REVISTA EDIÇÃO ATUAL   EDIÇÕES ANTERIORES   DIRETRIZES PARA AUTORES   CORPO EDITORIAL   CONTATO  

FOCO E ESCOPO

Cadernos NAUI é uma revista eletrônica de periodicidade semestral organizada pelo NAUI – Núcleo de Dinâmicas Urbanas e Patrimônio Cultural do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da UFSC. A revista é orientada para a publicação de pesquisas e discussões teóricas de pesquisadores nacionais e estrangeiros ao redor de dois eixos temáticos amplos: dinâmicas urbanas e patrimônio cultural sobre temáticas relacionadas à antropologia urbana, patrimônio cultural, museologia e memória.

A produção dos Cadernos NAUI é dirigida para a comunidade acadêmica, fundamentalmente Antropologia, Ciências Sociais, Arquitetura e Urbanismo e Museologia e para dar suporte e criar parcerias com políticas públicas que lidam com a temática-alvo do urbano e do patrimonial.

Cadernos NAUI publica textos originais e inéditos, que não tenham sido submetidos  simultaneamente a outra publicação ou órgão editorial. Os textos podem ser enviados em português ou em espanhol e devem contribuir para enriquecer a investigação científica sobre as temáticas citadas.  As edições podem ser compostas por artigos, resenhas, entrevistas, ensaios de imagens e dossiês temáticos.

A divulgação do periódico é feita em https://www.facebook.com/naui.ufsc/?ref=br_rs além da página do núcleo.

HISTÓRICO

A revista Cadernos NAUI foi criada em 2012 como resultado do trabalho conjunto de pesquisadores do Núcleo de pesquisa Dinâmicas Urbanas e Patrimônio Cultural (NAUI), do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). O núcleo foi criado em 2004 sob as linhas de pesquisa da antropologia urbana, do patrimônio cultural, museologia e memória. Entre 2005 e 2009, estabeleceram-se diálogos e parceiras profícuas com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e o Curso de Graduação – Bacharelado em Museologia – no Centro de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Santa Catarina. A revista passou a integrar o Instituto Brasil Plural (IBP) (membro do Programa dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCTs), vinculado ao CNPq, e que localmente conta com apoio da FAPESC e da FAPEAM), criado em 2009, que contribuiu com a vinda de pesquisadores estrangeiros para o núcleo, reforçando laços internacionais. Nessa esteira, inicialmente, a revista adotou uma política editorial que tinha como uma das metas sistematizar as pesquisas, os seminários, os congressos da produção do próprio núcleo para divulgar local, regional e internacionalmente, no intuito de interagir e consolidar parcerias existentes e/ou criar novas. Esta política editorial reverberou em vários números dos Cadernos NAUI.

PERIODICIDADE
Semestral

PROCESSO DE AVALIAÇÃO

A relevância do artigo, sua originalidade e metodologia figuram como critérios centrais para a avaliação. Assim como uma argumentação teórica consistente e uma bibliografia atualizada e adequada ao tema proposto. Os editores da revista reservam-se o direito de publicar ou não os trabalhos recebidos, comprometendo-se a informar os/as autores/as, num prazo razoável, da decisão a que tenham chegado. Esta decisão é apoiada em um processo de apreciação dos artigos baseado no sistema de avaliação por pares em modelo duplo-cego.

O processo de avaliação envolve as seguintes etapas:

a) Detecção de plágio. Nesta fase, a equipe de apoio técnico submete os trabalhos a uma avaliação por meios do softwere  Plagius – Detector de Plágio Professional que permite verificação de similaridade dos manuscritos recebidos para detectar se cumprem requisitos mínimos de citação ou se caracterizam situações de plágio. Partes identificadas com similaridade pelo programa, são revisadas pela comissão editorial para verificar se se configuram plágio efetivamente. Os trabalhos em não conformidade são automaticamente rejeitados.

b) Apreciação inicial por parte dos editores, baseada, por um lado, em critérios de pertinência, interesse e qualidade, definidos em consonância com a política editorial da revista; e, por outro lado, a conformação dos artigos às normas de apresentação de textos levando em consideração as diretrizes da revista e adequação às temáticas dos Cadernos NAUI. Esta etapa decide sobre a submissão ou não dos artigos à fase subsequente de apreciação por parte de avaliadores/as.

b) Avaliação duplo-cego dos artigos, a qual fundamenta a decisão final quanto à publicação ou não dos artigos, reservando o anonimato para ambas as partes (pareceristas e autores). Nessa etapa, os artigos são encaminhados para dois pareceristas especialistas na temática abordada pelo texto que está sendo avaliado.

2. Os autores(as) serão informados(as) quanto à aceitação ou não dos artigos, bem como da necessidade de revisão, conforme os pareceres dos avaliadores. A etapa de avaliação dos artigos pelos pareceristas é realizada num período de 20 a 30 dias. O prazo para devolução do artigo para revisão pelos/as autores/as é, em média, de 15 dias.

3. Os pareceristas e editores, depois da revisão pelos/as autores/as, podem solicitar novas alterações, estabelecendo novos prazos de retorno.

4. Artigos negados que necessitem de uma maior e cuidadosa revisão, desde que se encaixem nos eixos temáticos da revista, podem ser enviados a nova submissão.

5. No caso de artigos submetidos e não aceitos para publicação, a revista Cadernos NAUI compromete-se em comunicar os/as autores/as razões de tal decisão, podendo, quando os artigos tiverem passado à segunda etapa de apreciação, juntar os pareceres de que foram objeto.

PROPRIEDADE INTELECTUAL

Adotamos a Licença Creative Commons Atribuição Não Comercial Compartilhar Igual (CC BY-NC-SA) 4.0 International. A transformação e criação a partir do material original devem adotar a mesma licença. O material pode ser compartilhado e adaptado, desde que atribuído o devido crédito e desde que não seja utilizado para fins comerciais.

Licença Creative Commons

POLÍTICA DE ACESSO LIVRE
Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona a democratização do conhecimento. O acesso ao conteúdo da revista está disponível na página do NAUI https://naui.ufsc.br/cadernos-naui/

POLÍTICA DE PRIVACIDADE
Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.

POLÍTICA DE PRESERVAÇÃO DIGITAL

Desde seu primeiro número a revista Cadernos NAUI adotou práticas para preservar os artigos e pareceres nos diversos estágios do fluxo editorial. Inicialmente esta prática consistia e salvar os documentos encaminhados e gerados no fluxo editorial em três servidores distintos e de usar o próprio e-mail da revista como sistema de registro da entrada e saída de artigos. Atualmente, além destas medidas, a revista também insere os artigos finais no repositório institucional da UFSC, que tem se comprometido a preservar, de forma gradativa, os acervos disponíveis ness repositório e implementar a caixa (software) LOCKSS para permitir sua integração à Rede Cariniana. A comissão editorial da Revista Cadernos Naui se mantém atenta as novas orientações tecnológicas que possam contribuir para a construção de uma Política de Preservação Digital e de Acesso Aberto

ÉTICA E PRÁTICAS EDITORIAIS

Cadernos NAUI adota as condutas éticas de qualidade internacional da Committee on Publication Ethics (COPE)
Conforme orientação dos periódicos UFSC, os itens a seguir resumem as principais orientações do COPE.

Editores
A prática editorial e a relação do editor com autores e avaliadores estão amparadas no Código de conduta para editores, do Committee on Publication Ethics (COPE).
Toda decisão editorial se fundamenta na relevância, originalidade, clareza e validade do estudo para atendimento do escopo da revista.

Avaliadores

A avaliação se baseia no mérito do trabalho, não influenciada, positiva ou negativamente, por motivos pessoais, financeiros ou preconceitos intelectuais. As submissões e os detalhes das revisões são mantidos sob confidencialidade. O avaliador deve se certificar de qualquer potencial conflito de interesse na revisão da submissão. Ao se deparar com alguma irregularidade, deve informar o editor. são exemplos de irregularidades: identificação de plágio; fabricação, falsificação dos resultados; publicação redundante.

Autores

A indicação de autoria num trabalho científico se deve apenas àqueles que:
a) contribuem intelectual, direta e substancialmente na concepção da pesquisa/artigo (aquisição, análise ou interpretação dos dados do estudo);
b) participam na construção das versões preliminares ou revisão crítica do conteúdo do artigo;
c) aprovam a versão final do artigo a ser publicado;
d) responsabilizam-se pela autoria, a fim de garantir exatidão e integridade do artigo.
O(s) autor(es) deve(m) apresentar a declaração de existência do conflito de interesse, quando for o caso.

Retratação e manifestação de preocupação

O editor tem o dever de agir na suspeita ou alegação de má conduta identificada. Esta investigação se estende tanto às submissões quanto aos artigos publicados. Este periódico tem como instrumento os fluxogramas COPE para apurar fatos e determinar as ações necessárias na resolução dos casos. Também adota os procedimentos de registro de 2 retratação e manifestação de preocupação do Scielo, que têm como base orientações de comitês internacionais especializados na ética em pesquisa.

REDES SOCIAIS

https://www.facebook.com/naui.ufsc/?ref=br_rs


INDEXADORES
Google Scholar
Sumários.org
DOaj
Portal de Periódicos CAPES