Cadernos NAUI > Edições Anteriores > Vol. 3, nº 5, jul-dez 2014

ISSN 2358-2448

APRESENTAÇÃO   EDIÇÃO ATUAL   EDIÇÕES ANTERIORES   DIRETRIZES PARA AUTORES   CORPO EDITORIAL   CONTATO
capa vol 3, 5 Editora Chefe
Alicia Norma González de CastellsComissão Editorial
Beatrice Correa de Oliveira Gonalves
Claudia Peterlini
Dagoberto José Bordin
Jeana Laura da Cunha Santos
Mariela Felisbino da Silveira
Micheline Ramos de Oliveira
Natália Pérez Torres
Patrícia Martins
Simone Liwin Prestes
Paola Luciana Rodriguez Peciar
Patricia Martins
Fátima Satsuki de Araújo Iino

Revisão de Texto
Camila Sissa Antunes
Dagoberto José Bordin
Mariela Felisbino da Silveira
Micheline Ramos de Oliveira
Natália Perez Torres
Rafael de Oliveira Rodrigues


Diagramação e formatação

Simone Litwin Prestes

Foto da Capa
Carolina do Amarante

Ficha Técnica
Cadernos NAUI – Revista Eletrônica de trabalhos acadêmicos do Núcleo
de Dinâmicas Urbanas e Patrimônio Cultural (NAUI) do Programa
de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS) do Departamento
de Antropologia vinculado ao Centro de Filosofia e Ciências
Humanas (CFH) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).
Universidade Federal de Santa Catarina – Trindade – Florianópolis/SC
CEP 88010-970

Contato: cadernosnaui@gmail.com

Apresentação

Dando continuidade a discussão e divulgação de trabalhos transdisciplinares relacionados a dinâmicas urbanas, patrimônio cultural e memória, esta edição da Revista Eletrônica Cadernos NAUI, traz um conjunto de pesquisas que se debruçam sobre estudos de casos que, também focando em questões teóricas, nos ajudam a refletir mais profundamente sobre as intervenções urbanas e patrimoniais em curso no Brasil e em Portugal. Entre os autores, profissionais com formações diversas e nacionalidades, que ampliam o debate através de olhares plurais que convergem para as temáticas do Núcleo de Pesquisa.
Abrindo esta edição, temos a satisfação de registrar a Conferência Observaciones sobre condiciones actuales del Patrimonio: Orientaciones e intervenciones complejas proferida pela Dra. Monica Beatriz Rotman, no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social – PPGAS/UFSC em março de 2015. Professora titular do departamento de Antropologia da Facultad de Filosofía y Letras de la Universidad de Buenos Aires (UBA) e Pesquisadora do Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas (CONICET) da Argentina. Atualmente Diretora do Programa Economía Política de la Cultura: Producciones culturales y Patrimonio do Instituto de Ciências Antropológicas (FFyL/UBA). Nesta conferência, foram abordadas questões teórico-conceituais sobre patrimônio cultural, além de uma discussão acerca da atuação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no campo patrimonial.
A discussão teórica trazida pela pesquisadora argentina é reforçada no artigo Antropologia e Patrimônio Cultural do pesquisador Helder Pires Amâncio, moçambicano que atualmente dá continuidade a seus estudos no Brasil. Amâncio reflete sobre o conceito de patrimônio cultural através de discussões desenvolvidas na disciplina de mesmo nome do artigo, levantando diversas questões e indicando caminhos para discussão das mesmas.
Os demais artigos têm como foco estudos de caso sobre referências e intervenções patrimoniais em diferentes âmbitos, que vão desde as redes sociais no ciberespaço passando por políticas públicas e suas consequências até interações interespécies, sempre direcionando as reflexões à dimensão patrimonial. Em Eu sinto na pele e no coração o que é o patrimônio’: imaginários de preservação e valoração de ressonância no movimento da hashtag #oqueepatrimonioparavoce, João Paulo Roberti Jr. analisa textos e imagens compartilhados em redes sociais através do Congresso Internacional de Educação Patrimonial, ação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, que teve ampla participação popular.
No artigo, Entre mudança e conservação: Políticas de intervenção urbana e usos do patrimônio em Portugal e no Brasil, dois estudos de caso, Ana Rita Matias utiliza o patrimônio como categoria de pensamento para comparar usos e intervenções urbanas nos centros históricos de Lisboa – Portugal e em São José – SC – Brasil. Ainda no âmbito das intervenções em centros históricos, em As sucessivas políticas públicas de desvalorização da história da cidade de Blumenau/SC, Bernardo Brasil Bielschowsky vê a paisagem urbana como bem patrimonial a ser valorizado, analisada através de sucessivas transformações e das características paisagísticas contemporâneas desta cidade do sul do Brasil, que atualmente se vêem ameaçadas pelas intenções de comercialização dos espaços urbanos para atração de investidores. Também analisando as relações entre o capital e a paisagem urbana e procurando entender fluxos de imagens e de pessoas em uma praia de Florianópolis – SC, em O bairro do Campeche: qualidade de vida junto ao mar, Carolina do Amarante discute questões ambientais, culturais e urbanas através da metodologia de História Oral, que trás a tona outros olhares sobre a expansão e transformação de cidades. Fechando esta edição, saímos da cidade e adentramos o mar através do trabalho de Fátima Satsuki de Araujo Iino, que em A comunicação entre pescadores artesanais e os botos de Laguna como patrimônio cultural apresenta a possibilidade de leitura desta atividade como um patrimônio cultural, dialogando com autores deste campo de pesquisa e apresentando dados preliminares de sua inserção em campo.
Desejamos uma ótima leitura e que os estudos apresentados nesta edição ampliem o campo de pesquisa, a visão sobre o patrimônio cultural e a discussão sobre as intervenções realizadas e as teorias que embasam as ações de valorização e proteção patrimonial.

Os editores

Conferência

Obsevaciones sobre Condiciones Actuales del Patrimonio: Orientaciones e Intervenciones Complejas

Mónica B. Rotman (CONICET-UBA)

Artigos

Antropologia e Patrimônio Cultural

Hélder Pires Amâncio (PPGAS / UFSC)

Eu Sinto na Pele e no Coração”: o que é o Patrimônio imaginários de preservação e valoração de ressonância no movimento da hashtag #oqueepatrimonioparavoce

João Paulo Roberti Junior (PPGAS / UFSC)

Entre Mudanças e Conservação: políticas de intervenção Urbana e usos do patrimônio em Portugal e no Brasil, dois estudos de caso

Ana Rita Matias (UNL – Portugal)

As Sucessivas Políticas Públicas de Desvalorização da História da Cidade de Blumenau SC

Bernardo Brasil Bielschowsky (IFSC)

O Bairro Campeche: “qualidade de vida junto ao mar

Carolina do Amarante (PPGH / UDESC)

A Comunicação entre Pescadores Artesanais e os Botos de Laguna como Patrimônio Cultural

Fátima Satsuki de Araujo Iino (PPGAS / UFSC)